Queridos convido à Todos para que visitem a

 Loja Virtual do Portal Cícero-Cultura!

Um Ambiente Totalmente Seguro onde poderão

realizar Bons Negócios!

Aguardo Vocês nesse Espaço Mágico de Compras!

 

 

 

 

 Ingrato, o nosso idioma, e por isso mais fino

o triunfo verbal que ao público extasia:

vulva frêle et navrée, num lance cristalino,

expõe-se, esplendorosa, em sua plena magia.

 

Palmas ao tradutor, esforçado xavante,

guarani culto e sábio ou famoso tupi,

mestre no deglutir, em quarteto e terceto,

 

o sol, o sal, a cor que iguais eu nunca vi,

embora o nosso herói se confesse ofegante

depois de haver parido um alheio soneto.

 

Carlos Drummond de Andrade

 

 

 

 

Le grand inconvénient de la vie réelle et ce qui la rend

insupportable à I'homme supérieur, c'est que ,si I'on y

transporte les principes de I'idéal, les qualités deviennent des

défauts, si bien que fort souvent I'homme accompli y réussit

moins bien que celui qui a pour mobiles I'égoïsme ou la routine

vulgaire.

 

Marc-Auréle

Translate this Page




ONLINE
1





Partilhe este Site...



Colabore com o Projeto

Cícero-Cultura...

Doe Qualquer Valor!

 

 

 

 

 


Mário de Andrade
Mário de Andrade

 

Amar Verbo Intransitivo - Mário de Andrade

 

 

Autor: Mário de Andrade

Resumo do livro:

Em Amar, Verbo Intransitivo o autor mostra a iniciação sexual e amorosa do jovem Carlos. Seu pai, Felisberto Sousa e Costa, contrata Elza (quase sempre chamada de "Fräulein") para fazer essa iniciação. Ela ensina alemão a Carlos e suas três irmãs menores enquanto vai, lentamente, o seduzindo.

Os dois começam um caso (Laura, mãe de Carlos, fica chocada quando descobre e pede para Elza ir, mas Sousa e Costa explica a situação) que, não sendo tórrido, ainda é sexual; mas tem um tom de quase incesto, já que Fräulein é quase maternal com Carlos.

O pai do jovem prepara-se para separá-los como inicialmente planejado e Fräulein acaba saindo após receber os oito contos combinados, acabando assim a primeira parte do romance, chamada Idílio. A segunda parte, sem nome (Idílio é na verdade o subtítulo do romance) mostra Carlos mais amadurecido, enquanto Fräulein já tem um novo menino sob instrução. 

O título do livro é na verdade uma de suas temáticas principais: verbo intransitivo é aquele que não precisa de complemento, e Fräulein Elza está na residência burguesa dos Sousa e Costa, em São Paulo, para ensinar Carlos a amar; nenhum dos dois realmente se apaixona um pelo outro. Ela repudia o sentimento o quanto pode, na verdade, e no final o que resta é apenas uma vaga melancolia, enquanto o que ele achava ser amor é extremamente passageiro.

No livro Mário de Andrade faz também muitas digressões, identificando seus pensamentos, sentimentos e opiniões com os dos personagens. O livro também tem uma estrutura incomum: não há capítulos em si, apenas espaços em branco que separam passagens; e enquanto a palavra FIM aparece após o Idílio, apenas após isso dá-se a conclusão da história.

topo