Queridos convido à Todos para que visitem a

 Loja Virtual do Portal Cícero-Cultura!

Um Ambiente Totalmente Seguro onde poderão

realizar Bons Negócios!

Aguardo Vocês nesse Espaço Mágico de Compras!

 

 

 

 

 

Le grand inconvénient de la vie réelle et ce qui la rend

insupportable à I'homme supérieur, c'est que ,si I'on y

transporte les principes de I'idéal, les qualités deviennent des

défauts, si bien que fort souvent I'homme accompli y réussit

moins bien que celui qui a pour mobiles I'égoïsme ou la routine

vulgaire.

 

Marc-Auréle

Translate this Page




ONLINE
1





Partilhe este Site...



Colabore com o Projeto

Cícero-Cultura...

Doe Qualquer Valor!

 

 

 

 

 


Adolfo Caminha
Adolfo Caminha

 

A Normalista

 

 

Título: A Normalista - Adolfo Caminha

Obra considera um dos romances mais naturalistas da literatura brasileira.

Quando se fala do movimento literário Naturalista no Brasil é preciso citar Adolfo Carminha (1867-1897). Este nascido em Aracati, Ceará, é o autor de “A Normalista”, considerado um clássico brasileiro. Nesta obra o autor descreve traços da região de Fortaleza, Ceará e sua sociedade no final do século XIX, sendo assim uma obra que possui elementos regionalistas.

Ele descreve como um local sempre simples, sem luxo e tenta mostrar a realidade de uma sociedade com preconceitos e sentimentos pequenos. O livro conta a história de Maria do Carmo, moça simples que é entregue por seu pai para seu padrinho para que fosse criada. Caminha usa diversas gírias locais da região, muitas coloquiais, tudo para dar sensação de realidade ao leitor. Quem lê essa obra precisa se deixar envolver com a época em que foi escrito e seus dramas.


Resumo de A Normalista

Livro A Normalista

Como o próprio nome da obra descreve, a personagem principal é uma moça simples e normal, ela representa toda a população oprimida da época, sofredores da seca.

Maria do Carmo é uma moça do interior, cuja mãe morreu e o pai tentava fugir da seca. Seu pai lhe entregou a seu padrinho João da Mata, por quem Maria do Carmo é criada. João da Mata mora com Dona Terezinha. Maria do Carmo estuda inicialmente em um colégio religioso e depois passa a estudar na Escola Normal. Quando entra nesta escola, seu padrinho começa a vê-la com outros olhos, enxerga nela uma moça com corpo atraente e com muitos atributos, então passa a desejar a afilhada.

João da Mata representa a parte ruim da sociedade, sem caráter e sempre tentando tirar vantagem. Maria do Carmo nesta época inicia um namoro com Zuza, um jovem estudante de Direito e filho de um dos coronéis da cidade. O namoro deixa João da mata furioso e com ciúmes. O relacionamento entre Zuza e Maria do Carmo parece sério, mal comentado por toda a cidade, e o coronel que desaprova a relação pede que o filho volte para Recife, para terminar seus estudos.

Enquanto isso João da Mata começa a arquitetar um plano para seduzir Maria do Carmo, ele inclusive termina com Dona Terezinha, que já desconfiava de suas invenções. Uma noite ele consegue entrar no quarto de Maria, engana a moça inocente que estava fragilizada e consegue o que queria. Maria do Carmo acaba engravidando e sai da cidade para evitar maior escândalo. Um problema no parto faz com que o bebê morra, então a normalista retorna para Fortaleza, onde por fim fica noiva do alferes Coutinho.

 

 

 

 

 

topo